Pressão não é nada sem controle: seis formas de você controlar a pressão do turbo em sua FuelTech

junho 28, 2021

Em qualquer projeto, um motor turbo pode propiciar uma série de alegrias - e também de dores de cabeça, caso não seja devidamente gerenciado. Foi com essa preocupação que a FuelTech desenvolveu seis formas diferentes para que você tenha controle sobre como a turbina irá agir em seu motor. Todas elas estão disponíveis por meio do BoostController integrado, que está presente em todas as ECUs da linha Power FT.

A função pode receber pressão de duas formas: uma delas é via coletor de admissão (que alimenta a pressão na cabeça da válvula, por meio de válvula N75 ou MAC de três vias, que vão dispensar uso de cilindro de CO2). A outra é pelo cilindro de CO2, indicado para quando forem necessárias maiores pressões e menor tempo de carregamento da turbina.

A função do BoostController é capaz de controlar a pressão referente à parte superior da válvula wastegate, portanto não é referente à pressão do turbo diretamente. A pressão do turbo se dará pela soma das pressões vindas da mola, boost (na parte superior da válvula) menos a contrapressão gerada pela inércia dos gases de escapamento.

Agora vejamos, na prática, como você pode fazer esse controle em sua ECU. Pois, a exemplo da potência em si, a pressão da turbina também não é nada sem o devido controle.


  • Controle por tempo após largada válida

Esta é uma das funções mais usadas em provas de arrancada. A configuração do mapa de pressão da válvula wastegate é feita para que a pressão aumente conforme o tempo em que o carro se move. O ajuste pode ser feito diretamente na função de boost (onde se pode criar um gráfico por valores) ou na função de arrancada, em compensações por tempo.


  • Configuração por marcha e RPM 

Função em geral mais usada por carros de rua e carros de circuito. Nela, é possível construir uma curva ascendente de pressão de turbo, por RPM, para cada marcha.


  • Controle por marcha e tempo após a troca da marcha 

Método muito similar ao anterior, mas em vez de configurar o aumento da pressão conforme o número de RPM atingidos, a configuração é feita de acordo com o tempo decorrido após a troca de marcha. É uma opção mais comum para uso em provas de arrancada.


  • Valor de alvo único 

É o sistema mais simples de todos. Independente de RPM, tempo ou da marcha que está sendo usada, o valor alvo de pressão da válvula wastegate que for previamente configurado agirá sobre a turbina para determinar a quantidade de pressão usada.


  • Controle por RPM

Construção de curva ascendente para aumento da pressão conforme o RPM do motor. A diferença é que esta configuração não varia conforme a marcha utilizada no momento: a configuração é sempre a mesma.


  • Controle por velocidade de referência

O usuário determina a pressão de turbo que desejar conforme o carro atinge determinadas velocidades, que são pré-programadas na ECU.

Saiba como configurar e veja a instalação na prática aqui: 

 

 



Deixe um comentário

Os comentários serão aprovados antes de serem exibidos.